Saiba aqui se é necessário usar antivírus em sua Smart TV.

Será que a Smart TV também precisa instalar um Antivírus? Semelhante aos computadores e smartphones? Está surpreso com esta pergunta? Pois bem, muitas pessoas não percebem que ao conectar qualquer aparelho na internet o risco de receber vírus e infectar seus equipamentos é alto.

Você comprou uma Smart TV, está feliz com sua nova aquisição, vai conseguir assistir Netflix, jogar pela internet, assistir vídeos no Youtube, ou seja, transformar sua imensa TV em um Computador de sala.

Porém, não se esqueça que a sua TV é semelhante ao computador. Isso mesmo! Ela possui interfaces com ícones, navegadores de internet, você pode baixar conteúdos, ter acesso a rede Wi-Fi e inclusive instalar programas.

Empresa de Segurança Digital alerta!

O alerta foi feito para redobrar a atenção em relação à segurança da sua TV, além disso, pesquisar qual antivírus é compatível com seu equipamento. Essa preocupação com a proteção das Smart TV´s foi levantada na feira MWC em Barcelona pela empresa de segurança Digital ESET.

Conforme orientações da ESET, as TV´s que possuem o sistema Android TV possuem várias formas para receber esta proteção. A primeira forma é o antivírus propriamente dito, a segunda opção é o anti-ramsomwere que protege sua tv contra bloqueios de tela externos, existe também o escaneamento de dispositivos como por exemplo a conexão de pendrives por USB.

A última forma de se proteger de possíveis ataques de hackers é com o anti-phishing, que são feitos para roubar dados pessoais e informações de contas mais sensíveis. No caso do anti-phishing é oferecido o recurso na forma paga, que deve estar custando por volta de 10 euros, no entanto, as demais podem ser adquiridas gratuitamente.

Demonstração de Ataques

A ESET na feira MWC fez algumas demonstrações onde foi possível visualizar o escaneamento de pendrives infectados que foi conectado em uma das portas USB do aparelho de TV.

Além desta demonstração, foi possível visualizar a instalação de aplicativos mal intencionados que foram instalados de forma indevida, onde o antivírus faz seu papel de bloquear estas instalações.

Smart TV no radar dos criminosos

Antigamente algumas proteções básicas eram tomadas como excluir alguns emails estranhos, não clicar em links desconhecidos, escolher senhas mais fortes para evitar acesso a contas pessoais, ou seja, essas ações eram tomadas exclusivamente para acessos ao computador.

Com a chegada e popularização das TV´s que podem se conectar na internet, as Smart Tv´s, os criminosos já estão começando a direcionar a sua atenção para estes aparelhos, já que eles possuem dados gravados de contas de acesso para email, programas de filmes, entre outros.

Os invasores podem controlar sua TV remotamente, trocar de canal, ver todo o histórico de navegação, como já dissemos, verificar dados pessoais e acessar dados em pendrives como pastas por exemplo.

Quais vulnerabilidades a Smart TV pode apresentar?

Além dessas que apresentamos, algumas marcas podem enviar anúncios publicitários de acordo com o seu perfil de usuário. Para identificar isso é preciso comparar seu histórico de navegação com os possíveis anúncios publicitários que podem aparecer em sua TV.

Em 2012, a LG em algumas TV´s foi detectado esta vulnerabilidade com o envio de anúncios personalizados sem a permissão dos usuários e com isso foi acusada de violar a integridade e privacidade dos seus usuários. A empresa confirmou o erro e liberou uma atualização do software reparando este problema.

Como se proteger e aumentar a segurança da sua TV?

A primeira ação a ser tomada é evitar colocar pendrives sem fazer um escaneamento no computador em busca de vírus. A sua conexão Wi-Fi deve estar configurada com segurança WPA2, por ser mais segura e com menos disposição a ataques.

Evite fazer compras pela sua Smart TV, neste momento, não confunda sua TV com seu PC. os computadores possuem softwares de proteção mais avançados que auxiliam neste momento e algumas instituições de banco enviam aplicativos de proteção compatíveis com o sistema de computador.

E para finalizar aquela velha dica que já mostramos aqui, não clique em qualquer link, procure prestar muita atenção aos endereços camuflados nestes links suspeitos.

Marcio Ferraz


Confira aqui algumas dicas e cuidados que você deve tomar ao comprar uma TV Usada.

Em geral as pessoas buscam adquirir bens do modo mais econômico e prático, porém, existe uma expressão popular muito importante sobre a realidade de situações econômicas precárias: O barato sai caro. O investimento em produtos de segunda mão pode ser um bom negócio, entretanto, o consumidor precisa ser cuidadoso, estar muito atento aos anúncios publicados em qualquer mídia, para não ser logrado com produtos danificados ou de má qualidade. Sobretudo quando se busca comprar uma televisão.

Atualmente os aparelhos de TV não são simples produtos que captam sinais de satélite. O sinal digital transformou os aparelhos smarts em verdadeiros propulsores de diversos tipos de resolução em alta definição, que exigem mais atenção dos consumidores. Uma grande parte do mundo dos utensílios domésticos tornou-se quase descartável, devido à rápida evolução tecnológica.

Abaixo seguem algumas orientações sobre a aquisição de aparelhos de TV usados:

O valor de um modelo Smart TV de 55 polegadas pode estar em torno de 5.000 reais. Se um consumidor desejar um tipo de TV nesses parâmetros, certamente tenderá a buscar o mesmo modelo pela metade desse preço, porém, de segunda mão. Talvez seja melhor adquirir um aparelho menor, mas novo, retirado de uma loja, com garantia. Se o usado pifar, serão 2.500 perdidos. É essencial realizar intensa pesquisa de preços sobre o mesmo tipo de aparelho de TV. Na internet, hoje, tudo é possível, portanto, ter mais paciência, se for preciso buscar adquirir uma boa TV de grandes proporções a crediário, ou, colocar todas as contas na ponta do lápis e juntar dinheiro por mais um mês, por exemplo.

Durante os anos de 2016 a 2018, o sinal de TV Digital será estabelecido oficialmente em todos os municípios, de forma padrão, no Brasil. Portanto, é importante que o consumidor esteja atento ao tipo de aparelho televisor que irá adquirir, o qual deverá ser compatível com o sistema de TV digital, sem que precise gastar em dispositivo de conversão. Em geral, aparelhos usados são vendidos sem nenhum critério e, o que é um perigo, muitas vezes os aparelhos vendidos por terceiros se tratam de mercadorias roubadas.

Produtos usados podem ter data de fabricação bem mais antiga, o que representa prejuízo tanto na qualidade quanto na instalação. De acordo com informações do site oficial de TV Digital Brasileira, modelos fabricados antes de 2010 podem não ter mais compatibilidade com o padrão a ser estabelecido. Um detalhe a ser bem observado pelos consumidores que optarem por um modelo de TV mais velho, é a verificação das entradas RCA do mesmo, que são constituídas de três orifícios em três cores distintas, branco, amarelo e azul. Testar os cabos nessas entradas para certificar-se de que estão funcionando. Estas três entradas são essências para a instalação do conversor digital.

Um termo a ser compreendido com certa urgência é: obsolescência. As companhias fabricantes, em geral, suspendem a produção de peças avulsas de aparelhos já ultrapassados. Assim, TVs usadas oferecem mais esse risco, que é a inadequação ao novo padrão. Se ela sofrer danos ou for adquirida com problemas, é possível que ela não tenha conserto. Portanto, o melhor conselho é evitar aparelhos com mais de três anos de fabricação.

Se o consumidor deseja adquirir uma TV usada, é importante distinguir bem o se procura, ou seja, uma TV comum ou uma Smart TV. Aparelhos mais atualizados são muito mais vantajosos pelo fato de possuírem aplicativos como Netflix, Spotify e mesmo para acesso ao YouTube. Modelos fabricados a menos de três anos já possuem esses recursos. Portanto, nesse caso, é melhor realizar a compra de aparelhos de TV novos, mesmo que, a princípio, custem mais. Desse modo o consumidor pode usufruir de garantia, em caso de problemas técnicos, o que não será possível se o mesmo adquirir uma TV com os mesmos recursos, mas usada. Em caso de interesse em televisor comum, vale mais a pena, também, investir em um aparelho novo, com entrada de HDMI, que exigirá apenas a aquisição de dispositivos acessórios que transformam o aparelho de TV comum em Smart TV. Os dispositivos acessórios são o Chromecast 2 e o Amazon Fire TV Stick, cujo valor está em torno de 250. Portanto, é sempre mais vantajoso a aquisição de aparelhos zerados, novos em folha e, por conseguinte, atualizados.

Mas, se o consumidor ainda estiver firme na decisão de adquirir uma TV usada, vale a dica de perscrutar os motivos de venda da TV em exposição, sem medo de parecer chato. É importante ser exigente com terceiros que vendem produtos de origem duvidosa. Em se tratando de Smart TVs, é muito importante que o consumidor verifique o estado do sistema operacional, já que o mesmo tende a ficar obsoleto com o tempo de uso, mais pesado e mais lento, ou mesmo pare de funcionar. Estar antenado sobre as fabricantes, buscando informar-se sobre as atualizações que as mesmas proporcionam nos modelos mais antigos, ou se é viável restaurar configurações da fábrica, no sentido de excluir alterações indevidas realizadas pelo anterior proprietário do aparelho.

Enfim, é muito importante estar atento aos aparelhos de segunda mão. A melhor opção é pelo novo.

Paulo Henrique dos Santos


Antes de comprar uma TV 3D é preciso estar atento a um detalhe: a quantidade de óculos que acompanham o produto. Alguns modelos devem vir com pelo menos um óculos ou dois. Mesmo assim há a possibilidade de que possa não vir nenhum, o que é um problema.

Se o número de óculos é insuficiente para o número de pessoas na família, será necessário adquirir óculos adicionais. E, nesse caso, deve-se levar em conta o preço do acessório. A média é cerca de 150 a 200 reais.

Outro detalhe é a compatibilidade com as marcas. Enquanto os fabricantes não padronizam suas tecnologias, saiba que os óculos feitos para um modelo de TV não funcionará com outro.

 Por Maximiliano da Rosa

Fonte: iG


Não resta dúvida de que a TV 3D é uma revolução. Muita gente está falando que é algo equivalente ao que ocorreu quando a TV mudou do preto e branco para o colorido. No entanto, esteja atento aos efeitos colaterais que podem ser trazidos na bagagem dessa tecnologia para alguns indivíduos.

Talvez o mais importante é o caso dos óculos. Hoje em dia as pessoas passam horas na frente dos aparelhos de TV. Com os óculos, isso pode ser um problema. A exposição constante aos recursos 3D podem causar cansaço e dores de cabeça por causa, principalmente, do efeito crosstalk, no qual o cérebro interpreta as imagens do olhos esquerdo como se fossem do olho direito e vive-versa. Novos modelos de óculos prometem reduzir esse efeito.

Há também outros efeitos colaterais, como náuseas, tonturas e vômitos. Os óculos 3D não apresentam problemas para a maioria das pessoas, mas alguns fabricantes alertam para os riscos que algumas pessoas estão sujeitas devido exposição excessiva ao efeito 3D das TVs. 

Por Maximiliano da Rosa


Com o recente lançamento do televisor 3D, muitos estão ansiosos para poder comprar logo esse maravilhoso equipamento, contudo é necessário tomar alguns cuidados, pois esse televisor não é recomendável para todos os públicos.

Grávidas, idosos, insones e bêbados devem tomar cuidado com o novo aparelho televisivo, segundo o site da empresa sul-coreana Samsung, as pessoas citadas acima podem ter ataques epiléticos, após explorar por muito tempo os filmes e vídeo- game com a tecnologia de 3D.

Como podem perceber tudo que é demais não é bom, até água demais é prejudicial, o necessário agora é aproveitar a nova tecnologia, mas sem excessos.

Por Mateus Silveira





CONTINUE NAVEGANDO: