TV LED, OLED, QLED têm níveis de brilho, cores e definição de imagem diferentes



Procurando uma TV nova? Então, você está prestes a se deparar com dois termos que parecem semelhantes: QLED e OLED. Se você os julgou puramente com base em como são escritos (QLED e OLED), em que parecem a mesma coisa, não se engane: essa diferença de uma letra faz toda a diferença no mundo.

Quer saber qual é a melhor nos quesitos cores, contraste e brilho? Continue lendo essa matéria e descubra qual a melhor TV para comprar!



O que é QLED?

QLED significa Quantum Light-Emitting Diode. Em linguagem não geek, isso significa que uma TV QLED é como uma TV LED comum , exceto que usa nanopartículas chamadas de pontos quânticos para sobrecarregar seu brilho e cor. A tecnologia foi introduzida pela Sony em 2013, mas logo depois disso, a Samsung começou a vender suas TVs QLED e estabeleceu uma parceria de licenciamento com outros fabricantes, por isso você agora encontrará TVs QLED da Sony , Vizio , Hisense e TCL .

Por mais legais que os pontos quânticos sejam, uma TV QLED ainda produz luz mais ou menos da mesma forma que uma TV LED normal: usando uma luz de fundo composta por centenas (ou em alguns casos milhares) de LEDs, que fica atrás de um painel LCD tradicional . São esses LEDs que dão o nome à TV LED (e QLED).



O que é OLED?

OLED significa Organic Light-Emitting Diode. Surpreendentemente, a parte “Light Emitting-Diode” desse nome não tem nada a ver com uma retroiluminação LED como tem com TVs QLED e LED . Em vez disso, refere-se ao fato de que cada pixel em uma TV OLED também é uma luz LED minúscula – mas que é incrivelmente fina e pode produzir luz e cor em um único elemento. Em outras palavras, as TVs OLED não precisam de luz de fundo porque cada pixel produz sua própria luz. Se quiser impressionar seus amigos, você pode usar os termos do setor para esses tipos de monitores: “emissivo” ou “auto-emissivo”.

Leia também:  Novas TVs Sharp AQUOS Quattron Full HD com tecnologia 4K

Níveis de preto e contraste

O contraste é a diferença entre a parte mais escura de uma imagem e a parte mais clara. Se uma TV pode fornecer uma parte realmente preta escura, ela não precisa tornar as partes claras tão brilhantes para obter bons níveis de contraste. É por isso que, quando se trata de níveis de preto, OLED reina como o campeão indiscutível – por causa de sua capacidade de ficar completamente preto quando necessário.

Por enquanto, o OLED sai por cima. Se um pixel não está recebendo eletricidade, ele não produz luz e, portanto, permanece totalmente preto.

Vencedor nesse quesito: OLED.

Brilho

As TVs QLED têm uma vantagem considerável quando se trata de brilho. Como usam backlights separados (em vez de depender de cada pixel para criar sua própria luz), esses backlights de LED podem ser incrivelmente brilhantes. Adicione a capacidade de um ponto quântico de maximizar essa luz, produzindo tons mais brilhantes no espectro de cores sem perder a saturação e você terá uma tela que é mais do que brilhante o suficiente para ser vista claramente mesmo nas salas mais iluminadas.

Os painéis OLED tornaram-se mais brilhantes com o passar dos anos, mas ainda não se igualam às TVs QLED.

Vencedor nesse quesito: QLED.

Cores

O OLED uma vez tirou toda a competição da água nesta seção, mas o uso de pontos quânticos em TVs QLED permitiu que avançassem em termos de precisão de cor, brilho de cor e volume de cor.

Embora não haja como negar o fato de que os QLEDs oferecem cores fantásticas, ainda não há evidências de cores mais saturadas em altos níveis de brilho que oferecem uma vantagem real em situações de visualização normais – Portanto, um empate ocorre nessa questão.

Leia também:  Samsung lança novas TVs 4K no Brasil

Vencedor nesse quesito: Empate.

Já sabe qual TV escolher? Se você gostou dessa resenha comparando as duas TV´s, compartilhe em suas redes sociais!

Outros Conteúdos Interessantes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *